Crônica do Frei Hildebrando datada de Palestra datada de maio de 1983

 

Meus prezados Rádio ouvintes:

“DIA BONITO NÃO É FEITO SOMENTE DE RAIOS DE SOL”.

Uma das coisas mais difíceis de vencer durante o dia, é a ROTINA.

Todas as pessoas tem uma série de atividades diárias indispensáveis! Estas atividades tornam-se habituais – tornam-se costumes. Se as fizermos como uma simples ROTINA – apenas como HÁBITO – um REGULAMENTO – nós não progredimos. No entanto, não devem ser as atividades, que marquem nossa vida, mas nós é que devemos marcar as atividades com o nosso AMOR, com a nossa personalidade – senão as atividades podem tornar-nos simples máquinas.

Todas as obras realizadas com carinho, tornam-se mais belas, mais artísticas – humanamente falando.

Podemos repetir uma tarefa uma vida inteira, e podemos realiza-la como se fosse a primeira vez, todos os dias.

Meus Amigos: As coisas são sempre novas, quando a levamos a efeitos com  AMOR!

O AMOR,  somente o AMOR, é capaz de encontrar novidade, surpresas nas coisas que fazemos todos os dias. O AMOR sempre enxerga o mundo como se fosse novo, original!

O que torna o mundo sempre igual, é a falta de amor!

Quem não ama uma pessoa que está ao seu lado, a vê sempre a mesma, nunca é capaz de contemplá-la com seus progressos. O casal que não se ama, rotiniza tudo: palavra – afeto – tarefa executada, tudo sem a novidade transformadora que é o AMOR!

Meus Amigos: O amor faz com que vejamos as coisas sempre com novidades. O amor muda e transforma nossas tarefas em alegria, em novidades constantes.

Quem não ama, torna tudo insípido, desagradável, insosso e sem gosto.

AME sempre, e todas as coisas e tarefas, mesmo realizadas milhares de vezes, tornam-se originais, belas, de primeira mão!

O amor nos dá a sensibilidade – poesia – energia – senso e gosto de tudo.

A rotina empobrece e embota a sensibilidade e as qualidades humanas.

O AMOR enobrece – rejuvenesce – e tudo será belo, ameno, aprazível, gostoso, agradável, deleitoso e alegre.

EXPERIMENTE!

Tenho dito.

Esta entrada foi publicada em Crônicas e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>