Palestra datada de 05 de dezembro de 1970

Mais uma palestra do Frei Hildebrando (Transcrita na integra)

Meus prezados Ouvintes:

Uma das doenças mais dolorosas, mais penosas, mais vexatórias é, sem dúvida a cegueira.

Um dos missionários da Índia enviara à uma Comissão Episcopal da Alemanha a notícia de naquele país pagão existiam inúmeros casos de cegueira e muitas pessoas que sofrem da vista e que careciam de recursos necessários para adquirir óculos. Imediatamente os católicos alemãs organizaram uma Campanha Beneficente, arrecadando mais de 70.000 óculos de todos os tipos.

A verdade é que setenta mil…são muitos óculos; mas mesmo assim não são tantos quantos a Índia necessita. Quanto menos… aqueles que necessita o mundo para remediar essas outras cegueiras de espírito! Pois, essas são, afinal de contas, as anomalias visuais que deixam um vestígio mais profundo na personalidade.

Milhões de homens sem fé – para os quais os vinte séculos de redenção não conseguiriam acumular um raio de luz em seu penoso caminhar para Deus!

Milhões de homens cegos, desde o dia do seu nascimento que convertem em triste realidade as palavras do Profeta Isaias, recordadas por Cristo: “Eles têm os olhos abertos… mas não vêm”.

Mas há outra cegueira parcial, talvez mais grave, porque mais responsável.

Cegueira parcial de espírito – essa que padecem todos aqueles batizados que aceitam Deus com a cabeça, com a boca, mas mantêm fechado o coração às exigências. São os cristãos que comparecem aos enterros, assistem Missa de sétimo dia ou trigésimo dia, Missa de aniversário de personagens importantes, Missa da festa do Senhor do Bonfim, Missa da Imaculada Conceição ou de outro padroeiro… pessoas que acompanham religiosamente procissões, ajudam até com certas parcelas de sua fortuna a Obras da Igreja  e Instituições de Caridade – atos em si evidentemente recomendáveis e louváveis, mas em tudo mais, essas mesmas pessoas não vivem, infelizmente com autenticidade e sua religião com as obrigações integrais para com Deus e sua Igreja; são católicos afetados pela cegueira espiritual.

Meus amigos: Rezemos do mais profundo do coração a Cristo que tantos cegos curou: “Senhor, cura-me também desta rebelde cegueira do meu coração, para que a Fé não seja na minha vida, apenas um brasão de nobrezas, mas sobretudo… arma de bom combate de vivência verdadeiramente cristã. Tenho dito.

Esta entrada foi publicada em Crônicas e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>