Mais uma crônica do Frei Hildebrando – datada de 09 de outubro de 1976

Transcrita na íntegra

Meus prezados Rádio Ouvintes:

Estamos em pleno mês de outubro – “mês missionário” como o cognominou o nosso querido pastor d. Avelar, a fim de comemorarmos condignamente o tricentenário da nossa arquidiocese São Salvador.

Sua eminência tem dirigido apelos os mais ardorosos e veementes não somente aos párocos e capelães e aos demais responsáveis pela cura d’almas, como também a todos os fieis  comprometidos com a sua fé, que deem a sua generosa e eficiente cooperação para que esse grandioso certame religioso seja coroado de pleno êxito – e que haja em toda a arquidiocese uma vigorosa revitalização de vivência cristã e de testemunho de amor evangélico.

Meus Amigos, a nenhum católico que se preze como tal, é permitida quedar-se indiferente a este mês missionário, pois, é a tomada de consciência de que somos batizados e de que nosso batismo representa um dever sagrado de batalhar pelo Reino de Deus.

Neste ensejo, lembro-me instintivamente dos meus queridos Irmãos sofredores que se encontram durante semanas e meses presos ao leito da dor, podem eles precisamente dar uma das mais valiosas contribuições para este mês missionário, oferecendo os seus sofrimentos, em união com a paixão de Cristo, pela conversão dos pecadores, mormente dos mais empedernidos e implorando bênçãos e mais bênçãos  sobre os trabalhos de evangelização em todas as paróquias.

É sabido que Santa Terezinha do menino Jesus foi proclamada PADROEIRA DAS MISSÕES; – no entanto, nunca jamais chegou a ir pessoalmente às terras de Missões, mas espiritualmente acompanhava as atividades dos arautos do evangelho, rezando e oferecendo os seus sofrimentos pela conversão das almas para o Reino de Deus.

Aí tem os meus Amigos sofredores um programa excelente a executar neste mês missionário. Lembre-se de que a conversão é antes e acima de tudo fruto de orações – e não tanto das pregações.

Portanto, Irmãos, mãos à obra! Está aberto o campo do Apostolado. Tenho dito.

Esta entrada foi publicada em Crônicas e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>