Crônica do Frei Hildebrando – datada de 25 de novembro de 1973

Minha prezada senhorita: Muito grato pela sua longa carta e pela confiança com que te desabafaste.

Sim – parece incrível!… parece um sonho!… um pesadelo!… ainda há dez meses, jubilavas de incontida alegria: “sou noiva!… sou noiva!…” e´, hoje vês tudo desfeito!… tudo desmanchado… tudo por terra!…

Só Deus sabe quantas noites passaste em claro… e quantas lágrimas já de deslizaram… em fios quentes… pelas fazes sem cor !… É, sempre a gente: No íntimo da alma: “Ó – esse ingrato!…esse falso!… esse cínico!… Esse crápula!… É ISTO! DEPOS DE “TUDO AQUILO”!… e, só tu sabes e só tu podes sentir o que vai nesse “TUDO AQUILO”!… A só lembrança te faz sacudir de novo e peito de convulsivos soluços!…

Minha filhinha – ainda bem… que te conservaste incólume… que não cedeste a tanta insinuações e insistência… há tantas invectivas impetuosas de uma paixão em delírio e desenfreada!… Sim – só isto teria faltado para tornar completa a tua desgraça!… Mas, felizmente escapaste do pior… e quase nem sabes… como admiração… foi um verdadeiro milagre!…

E, institivamente evola-se de teu coração ao excelso trono de Maria Santíssima o sentimento de profunda gratidão, murmurando baixinho um sincero “ MUITO OBRIGADA, minha Mãe do céu não obstante a imensa revolta, que intimamente sentes ainda contra a DIVINA PROVIDÊNCIA, tendo sempre nos lábios este queixume amargo: “Mas, porque Deus permitiu isso?!…Porque, prevendo o tremendo fracasso do meu noivado, no caso, permitiu então que eu viesse a gostar daquele rapaz!… Por que não teve maior solicitude paternal?…

Minha filhinha – porque não teve ELE maior solicitude de pai? E, tens tu, acaso, revelado, nestes últimos tempos, solicitude e dedicação filial para com esse mesmo Pai do céu? De quem agora tão amargamente te queixas?”… Por que não atendeste o conselho do confessor que representa Cristo? Por que te foste aos poucos afastando do Santo Sacramento e da própria igreja? Bem sabias que todo o teu futuro estava nas mãos de Jesus! Por que então não procuravas mais vezes no Sacrário da Sagrada Comunhão, conversando com Ele sobre os teus problemas?… Pedindo luzes e conselhos!…

Se mais vezes tivesse hospedada em teu coração o Divino Amigo, quem sabe se tua vida não teria tomado rumo bem diferente!

Depois – não te esqueças de que, afinal de contas, tudo poderia ter-se tornado ainda muito pior, muito pior mesmo! Pelo menos tiveste a graça especial de não ter seguido àquelas propostas infames, desairosas!… e, se tivesses chegado a esse ponto, não seria agora tudo indivisivelmente mais calamitoso? – ou se ele já tivesse realizado o casamento contigo… para, ao depois te desprezar e trair miseravelmente como tantas vezes vem acontecendo como tu mesma sabes! E como ele agora, assim sem mais nem menos, cinicamente quebrantou mil juras de amor!…Não teria sido isto mil vezes mais trágico e sem remédio!… Ao menos agora ainda estais livre! És honrada… e ainda podes encontrar ótimo casamento!.

Aí vês, minha filha, que Deus – apesar de tudo ainda foi bom, muito bom mesmo para contigo, preservando-te de uma tragédia irreparável – PORTANTO – minha filha, nada de desânimo! Ainda podes ser feliz, muito feliz! Volta ao teu bom Deus – volta a Jesus, o Bom Pastor. Penitencia-te de tuas faltas! Promete-lhe sinceramente mudar de atitudes, mudar de vida – E JESUS, decerto de acolherá, novamente, em seus braços amorosos mostrando-te que sabe ser AMIGO. Através das lágrimas sinceras de tua compulsão há de raiar um dia, o arco-iris de novas esperanças! É o que te almejo de todo o coração. Tenho dito!

 

Esta entrada foi publicada em Crônicas e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>