Crônica do Frei Hildebrando – datada de 29 de setembro de 1979

Meus Prezados Radio Ouvintes:

Em palestras passadas ouvimos maravilhosas testemunhos de como almas heroicas aceitam o sofrimento!…

E como o devemos aceitar?

O primeiro grau é aceitar o sofrimento com  ânimo tranquilo  e dizer com humildade: “Seja feita a Vossa Vontade, Senhor” – sem murmuração nem revolta contra Deus.

Mas entenda-se bem: Não é absolutamente REBELDIA contra Deus: querer curar-se da doença – querermos melhorar a nossa sorte, assim como procurar, por todos os meios que o sol torne a brilhar acima de nós.

É lícito rezar com esse fim, e pedir o mesmo que Jesus pediu: “Meu Pai, se é possível, afaste de mim este cálice – todavia não se faça como eu quero, mas sim a Vossa vontade:”

Sim – tudo isso – é lícito. Porém, se o sofrimento continuar a atormentar-nos – então devemos acalmar-nos, aceitar a cruz e repetir esta formosa frase do Papa Clemente XI: “Quero, Senhor, o que Vós quereis – como Vós quereis – porque o quereis e enquanto Vós o quiserdes”.

Meus amigos, há ainda um grau mais elevado de perfeição no que toca à aceitação da vontade divina: É COLABORAR com o sofrimento.

Sim, é esta a única atitude reta e digna de nós! Seja qual for a minha tribulação – não perguntarei: POR QUE me aflige Deus precisamente a mim? EM QUE o mereci? Ah! – não falemos mais assim. A nossa primeira palavra deve ser esta: “SIM SENHOR, quero o que Vós quiserdes! Mostrai-me a Vossa vontade! Porque sei que sois meu PAI e nunca permitireis que sofra só pela intenção de me verdes chorar”.

Meus prezados Rádio Ouvintes:

Tudo depende do modo como se assimilar o sofrimento!!… Se te acovardastes e desfalecestes sob o peso da desgraça – se maldissestes da vontade de Deus… foi granizo! Mas se te adaptastes  à desgraça, se pudestes dizer: Seja feita a vossa vontade – então foi uma chuva de pérolas – uma chuva de diamantes que caiou sobre ti.

Finalmente, meus amigos, atingimos o mais alto grau de aceitação do sofrimento: Aceitar o sofrimento com ALEGRIA. Limito-me a mencionar apenas esse grau, porque não somos todos obrigados a tal sentimento, e, mais ainda: a maioria das pessoas não está preparada para isso. É PRIVILÉGIO DOS SANTOS. Trata-se não apenas da conformidade com o sofrimento, não só da identificação com a vontade de Deus, mas de sentir AMOR E ALEGRIA por ter chegado o sofrimento.

Encontraremos muito desses casos na vida dos Santos a explicação disto está na VITÓRIA SUBLIME DAS ALMAS SOBRE OS CORPOS. Só quem permanece absolutamente unido com Jesus Cristo paciente é capaz de atingir tão sublimes alturas. Tenho dito.

Esta entrada foi publicada em Crônicas e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>